top of page
  • Foto do escritorAndré Habib

7 fatos relacionados aos pára-raios


Por ser o Brasil um país tropical, basta que a primavera se aproxime que o calor já começa a “mostrar as garras” em todo o país. Em muitas cidades, principalmente em São Paulo onde esse fenômeno se intensifica por causa da ação da poluição, durante o calor intenso de todos os dias, nuvens intensas se formam para dar origem as chuvas fortes ao final do dia. Não bastassem os transtornos relacionados as enchentes provocadas pelas chuvas, um outro fator perigoso é sempre observado. Estamos falando da enorme quantidade de descargas atmosféricas, popularmente conhecidas como raios, que caem durante essas chuvas. Além de serem nocivos as nossas vidas, os raios são também causadores de muitos prejuízos no que se refere a queima de aparelhos que dependem da eletricidade para funcionar. Para o nosso consolo, existem os pára-raios, equipamentos capazes de absorver essas descargas atmosféricas, evitando assim acidentes, muitos acidentes e muitos prejuízos. A questão é, será que os pára-raios são realmente tão efetivos assim? Para responder essa e outras questões, listaremos abaixo alguns fatos (e ficções) sobre o assunto.

1. Pára-raios realmente protegem os edifícios contra raios?

Sim. Isso acontece porque esses equipamentos são constituídos de uma haste de metal que dissipa a corrente do raio para a terra.

2. E os dispositivos elétricos, são protegidos pelos para-raio?

Não e o motivo é que, como os dispositivos estão na mesma fundação do para-raio, parte da corrente pode voltar e danificar os aparelhos.

3. Dispositivos ligados a um adaptador universal com sistema de proteção contra surtos estão “a salvo”?

Não. Para uma proteção eficiente e segura, é necessário que o DPS (sistema de proteção contra surtos) seja instalado no quadro de distribuição.

4. Pára-raios são destruídos a cada queda de raio?

Não. Esses equipamentos possuem vida útil bem parecida a outros de proteção, tais como disjuntores e dispositivos de corrente residual (DR), capazes de suportar diversas descargas elétricas em um período.

5. Pára-raios precisam de manutenção?

Sim e que deve incluir a vistoria realizada por uma empresa de medições ôhmica (resistência de aterramento), capaz de analisar as condições gerais do sistema e verificar se a descarga elétrica ocorre corretamente.

6. Dispositivos elétricos devem ser desconectados da rede durante as tempestades?

Não, desde que um DPS esteja instalado no quadro de distribuição.

7. DPS protegem totalmente contra surtos de energia?

Não. Mesmo que seja um DPS classe II, capaz de proteger contra efeitos indiretos causados pelos raios, se não estiver instalado corretamente, de nada adiantará.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page