top of page
  • Foto do escritorAndré Habib

A corrente elétrica


Corrente elétrica, nos condutores metálicos, é devida a um fluxo de eletrões (partículas constituintes dos átomos), que transportam energia elétrica que recebem de uma fonte de energia, podemos dizer que é o fluxo “ordenado” de partículas portadoras de carga elétrica, ou, o deslocamento de cargas dentro de um condutor, quando existe uma diferença de potencial elétrico entre as extremidades. Esse deslocamento procura restabelecer o equilíbrio desfeito pela ação de um campo elétrico ou outros meios (reação química, luz, atrito, etc.). Microscopicamente, as cargas livres estão em movimento aleatório devido à agitação térmica. Apesar desse movimento desordenado, ao estabelecermos um campo elétrico na região das cargas, verifica-se um movimento ordenado (ou movimento de deriva das cargas livres) que se apresenta superposto ao primeiro. O funcionamento de uma lâmpada, os relâmpagos, a utilização de uma pilha ou a comunicação entre as células nervosas do nosso corpo são exemplos de fenômenos onde há um movimento orientado de partículas com carga elétrica. As partículas mais pequenas com carga elétrica negativa chamam-se eletrões. Nos materiais sólidos, eles são os responsáveis pela corrente elétrica, lembrando que não há correntes só nos sólidos. O relâmpago por exemplo é uma corrente elétrica nos gases, neste caso o ar. Nos líquidos também pode haver corrente elétrica, assim como, nos gases a corrente elétrica é devida ao movimento orientado de iões (corpúsculos com carga positiva ou negativa que resultam de átomos ou moléculas quando estes perdem ou ganham eletrões). Para que haja corrente elétrica nos sólidos é necessário que eles permitam o movimento orientado dos eletrões, isto é, que sejam bons condutores de corrente elétrica (os materiais que não são condutores de eletricidade dizem-se isoladores). Sabemos que o corpo humano é um bom condutor de corrente elétrica e, por isso, podemos “apanhar” choques elétricos se não tivermos os devidos cuidados. Se a corrente elétrica atravessar o nosso corpo, e, for muito intensa, as consequências serão graves – levando até a óbito.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page