A prevenção nas instalações elétricas


  1. Faça uma revisão da instalação elétrica a cada cinco anos, pelo menos;

  2. Contrate um profissional habilitado para esta revisão;

  3. Se houver necessidade de uma reforma, contrate um projeto elétrico elaborado por um profissional legalmente habilitado (engenheiro eletricista ou técnico em eletrotécnica);

  4. Para a reforma da instalação, contrate profissionais eletricistas e que estejam acostumados com as normas de segurança e tecnologias;

  5. Só use componentes de qualidade e se for o caso, certificados pelo INMETRO;

  6. Utilize normas técnicas para a verificação da instalação e também para revisão e/ou reforma.

Instalação elétrica revisada e dentro de normas garante segurança para os usuários e também participa da economia de energia. Para os usuários de edificações antigas, também há a necessidade de se procurar uma equipe de profissionais qualificados sempre que se for aumentar a carga de energia consumida. Quando se acrescentar equipamentos de uma determinada potência, por exemplo, como forno elétrico, máquinas de lavar, passar e secar, ao seu leque de eletrodomésticos, não deve simplesmente adquiri-los e liga-los à tomada, mas é preciso contratar engenheiros para que eles façam uma avaliação da instalação e vejam se é necessária a substituição de componentes envelhecidos por novos. O que se ganha com isso? Sempre que se fizer uma reforma em uma instalação, irá se ganhar eficiência energética. Isto porque o envelhecimento dos componentes aumenta a corrente de fuga e produtos mais novos representam menores perdas de energia. Não será um ganho muito expressivo, mas com certeza ele existirá. A eficiência energética só seria sentida de maneira bem contundente se o Brasil inteiro reformasse todas as instalações elétricas ao mesmo tempo. Neste caso, o país teria uma economia de energia da ordem de uma Itaipu. Enquanto isso não acontece, façamos a sua parte!

1 visualização