top of page
  • Foto do escritorAndré Habib

Automação versus mecanização


Muitas pessoas ainda não se deram conta, mas já estamos vivendo (mesmo em se tratando de uma fase inicial) a era da inteligência artificial e, consequentemente, da robotização. O motivo inicial para termos chegado até aqui, reside na necessidade constante da otimização de processos, ou seja, fazer com que os processos ocorram de forma mais rápida e, principalmente, mais eficiente. Acontece que , quando começamos a pensar na otimização de um determinado processo, a primeira ideia que nos vem a cabeça é a ideia de mecanização, que significa: colocar máquinas para fazer trabalhos antes feitos pelo homem. Por conta disso, confundimos mecanização com automação. A partir de agora vamos descobrir a diferença entre um e outro.

Automação versus mecanização

Na indústria alimentícia, uma fábrica de biscoitos, por exemplo, não é difícil para profissionais experimentados na área de montagem e manutenção, a construção de uma tubulação para o transporte de farinha através de tubos que a conduzirão até batedeiras para que sejam misturadas a outros ingredientes das diversas linhas de biscoito. Isso é mecanização. O trabalho de automação vai além, ou seja, é via automação que um sistema inteligente consegue avaliar se itens como: a quantidade, a velocidade e o intervalo entre um envio e outro. Em resumo, toda a parte de análise e “tomada de decisão” dos processos, fica sob a responsabilidade da automação. Já a alguns anos a automação está diretamente relacionada ao uso de sistemas CLP (Controladores Lógicos Programáveis) que nada mais são que programas de computador capazes de controlar o funcionamento das máquinas em processos simples ou complexos de produção industrial. Por fim, a mecanização pode até funcionar sem a automação, mas é claro que tudo ficará muito mais interessante quando há a presença da segunda. Fonte: Sala da Automação.

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page