top of page
  • Foto do escritorAndré Habib

Curtos circuitos em cabos elétricos


Mesmo que atualmente os cabos elétricos sejam fabricados com materiais anti chamas, por causa da diversidade de tipos, muitos deles são capazes de emitir fumaça tóxica, que são tão perigosas quanto as chamas provocadas por um incêndio. Eletricidade, calor e fumaça são coisas que podemos considerar como bem perigosas quando utilizados corretamente. Em casos de curto circuitos, essas três coisas podem aparecer de maneira descontrolada, causando um incêndio, um choque elétrico ou mesmo um intoxicação por fumaça que é algo extremamente grave por poder trazer diversas lesões à saúde. Curtos circuitos são geralmente causados por sobrecarga, ou seja, em situações em que a corrente é bem mais alta do que o cabo é capaz de suportar. A solução para os curtos circuitos passa pelo respeito as normas e cálculos corretos para dimensionamento adequado.

Curto circuito e fumaça não tóxica

Para se certificar de que um cabo realmente não emite fumaça tóxica, são necessários testes. Nesses casos, durante um teste, a quantidade de fumaça emitida é pequena, além de a tonalidade da mesma ser branca. A certeza sobre a não toxicidade vem através da utilização de papel medidor de pH que, em contato com a fumaça, deve se manter amarelo (cor que indica ser o material não tóxico).

Curto circuito e fumaça tóxica

Nesse caso, ao contrário do que acontece com cabos não tóxicos, a quantidade de fumaça é grande e o contato da fumaça com o papel medidor de pH, faz com que o mesmo adquira uma tonalidade avermelhada. Em casos de teste, geralmente apenas um cabo é utilizado, mas em situações reais, geralmente há mais cabos, o que provocará mais fumaça e, consequentemente, maiores riscos de contaminação. Esse assunto é tão importante que a NR 10 dedica um capítulo inteiro sobre combate a incêndios e a NR 5410 também o destaca em diversos tópicos.

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page