top of page
  • Foto do escritorAndré Habib

Os benefícios da automação industrial (parte 1/2)


Na correria do nosso dia a dia, certamente não nos damos conta, por exemplo, quando vamos a um supermercado e enchemos o carrinho de compras com pacotes de alimentos diversos, como aqueles produtos foram empacotados. Teria sido um processo manual? Imagine agora um pacote de biscoitos. Como foram feitos e empacotados? Vamos resumir agora esse processo com a experiência de quem já viu biscoitos serem produzidos diariamente. Pois bem, praticamente todo o processo, com exceção da adição de alguns ingredientes, é automatizado. Depois de batida, a massa é despejada automaticamente na linha de produção (um forno) e percorre um caminho enquanto é assada e, por fim, temos um pacote de biscoitos embalado sem praticamente a interferência do homem. Ok, queríamos apenas que você tivesse a noção de como é um processo automatizado para que a partir de agora possa entender com mais clareza os benefícios da automação sobre os quais falaremos a seguir.

1 – Aumento da produtividade

Mesmo parecendo ser um benefício obvio, como dificilmente seres humanos executam uma mesma tarefa obtendo sempre o mesmo resultado, em processos automatizados é exatamente o contrário porque uma vez que uma tarefa foi programada num determinado sistema, todo o resto é executado através da precisão das máquinas que foram cridas para trabalhar sempre do mesmo jeito, apenas seguindo as instruções iniciais.

2 – Redução de custos

Esse segundo item possui uma relação completamente direta com o primeiro. Aumentos de produtividade resultam em rápidos retornos de investimento (ROI) e redução de mão de obra e com ela a redução no pagamento de encargos que todos sabemos serem enormes no Brasil. Além do mais, sistemas automatizados são projetados para economizar energia elétrica quando não estão sendo utilizados.

3 – Aumento da qualidade

Em muitas empresas ainda há o departamento conhecido como controle de qualidade. Com a automação, esse departamento torna-se praticamente desnecessário, uma vez que toda a automatização é baseada num processo “amarrado”. Vamos voltar ao exemplo do biscoito onde o forno é regulado a uma determinada temperatura e velocidade para cada tipo específico de biscoito, tudo calculado para que as perdas sejam as menores possíveis e as receitas resultem sempre em biscoitos com “zero”diferença de sabor, etc. Na parte 2 desse artigo alaremos sobre segurança, vantagem competitiva, precisão e monitoramento remoto. Até lá! 

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page