• André Habib

Os perigos que uma lâmpada compacta fluorescente oferece


Conheça os maiores perigos da lâmpada compacta fluorescente

– Vidro quebrado Elas quebram quando queimam ou quando apresentam um mau funcionamento. Além do risco de suas partículas ao quebrar, pois estas oferecem risco de corte, é preciso tomar muito cuidado ao manusear uma lâmpada quebrada porque contém vapor de mercúrio que se espalha no ar. Portanto, não é viável empregar o processo tradicional de varrer os cacos de vidro. E para tirar os pedaços da mesma, cate-os manualmente e os coloque em um pote ou saco que feche bem. No caso dos pedaços minúsculos, use fita adesiva. – Vapor de mercúrio O principal risco que a lâmpada fluorescente compacta oferece é o mercúrio, ou seja, um metal tóxico que é usado como vapor no gás fluorescente que fica dentro da lâmpada. No caso de ela quebrar, o gás é imediatamente liberado, inclusive o perigoso vapor de mercúrio. Esse é um metal que é absorvido rapidamente pelo cérebro e pela corrente sanguínea, podendo causar danos permanentes. São mais perigosas assim que se quebram, pois o vapor paira no ar e, por esse motivo, uma lâmpada fluorescente compacta pode ser muito perigosa se transportada, pois se quebrar retém o vapor de mercúrio. Ao queimar, é preciso levá-la para a reciclagem, descartando-a de forma correta. – Incêndio Elas são projetadas para funcionarem apenas com interruptores tradicionais e, no caso de serem instaladas em soquetes que funcionam com dimmer ou nos soquetes incompatíveis com a tecnologia fluorescente, poderão nem funcionar direito, podendo explodir, pegar fogo ou apenas soltar muita fumaça. Fique atento e evite acidentes.

0 visualização