top of page
  • Foto do escritorAndré Habib

Protegendo-se dos raios


O raio pode até ser um fenômeno belo e inspirador, mas pode também ser mortal. Ao longo dos últimos 30 anos, nos Estados Unidos, os raios mataram uma média de 67 pessoas por ano. Grande parte das pessoas sente muito medo em eventos de queda de raios, medo esse, geralmente associado ao barulho dos trovões. Eles podem causar danos materiais, ferimentos e até a morte em seres humanos e animais. Sendo o Brasil o  “campeão mundial em raios”, com uma média superior a 1 bilhão de eventos anuais, não custa nada saber como se proteger. Felizmente, a maioria das mortes relacionadas com raios pode ser evitada​​. Hoje podemos contar com uma norma para instalação elétrica de edificações: residencial, comercial, público, industrial, de serviços, etc. Estamos falando da Norma Brasileira NBR 5410 que estabelece as condições mínimas necessárias para o perfeito funcionamento de uma instalação elétrica de baixa tensão garantindo assim a segurança de pessoas, animais e a preservação dos bens. Para os profissionais da área de eletricidade a NBR 5410 é o guia fundamental para o desenvolvimento das atividades profissionais do dia-a-dia. Além disso, é importante seguirmos algumas regras de proteção pessoal para garantirmos a nossa segurança. Durante uma tempestade, recomenda-se não sair de casa porque esse é um local onde as chances de acidentes diminuem. Mesmo dentro de casa, não use o telefone, com exceção do “sem fio”, nem se aproxime de janelas, grades ou tomadas. Os eletrodomésticos devem ser desligados da rede elétrica, evitando assim os efeitos indiretos das descargas, pois a boa condutividade dos materiais presentes nesses objetos podem provocar acidentes. Caso esteja na rua, deve-se evitar segurar objetos metálicos longos, como tripés, varas de pesca ou guarda-chuvas. Não se deve empinar papagaio e andar a cavalo também é uma atividade de risco. Não se deve nadar, relâmpagos ocorrem nessas superfícies. Alguns locais podem servir de abrigos numa tempestade: ônibus, veículos fechados metálicos, prédios e moradias com proteção, construções com estrutura metálica, barcos e navios metálicos fechados, abrigos subterrâneos, como túneis e metrôs. Nunca se deve ficar no interior de barracas ou tendas, que facilmente incendeiam ou se destroem pela força da descarga, tampouco próximo a linhas de energia elétrica ou árvores isoladas. As regras valem para os locais onde é extremamente perigoso permanecer: topos de morros, áreas abertas (como campos de futebol, estacionamentos e quadras esportivas), cercados de arame, varais de metal, trilhos, torres, linhas telefônicas. Quando não for possível realizar nenhum dos procedimentos citados, ainda há uma maneira de escapar de um acidente. Momentos antes de ocorrer a descarga, pessoas que estejam nessas proximidades, não devem entrar em pânico. Pode-se ficar na seguinte posição: ajoelhado, curvado para frente, com as mãos colocadas nos joelhos e a cabeça entre eles. Imita-se, desse modo, uma esfera e não uma ponta, como na posição de pé. Jamais se deve deitar no chão, pois a descarga atingirá diretamente essa superfície. Atualmente, é obrigatório no Brasil o aterramento da fiação elétrica nos imóveis. O aterramento consiste na instalação de um cabo de cobre no solo, de modo que ele possa descarregar tensões atmosféricas, estáticas e facilitar o funcionamento de dispositivos de proteção, como disjuntores. Para um eficiente aterramento da fiação elétrica é necessário que ele seja feito por um profissional da área. Se você é um profissional da eletricidade ou simplesmente está estudando, não deve deixar de conhecer o conteúdo completo da NBR 5410.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page